domingo, 25 de fevereiro de 2007

Uma questão de tempo


Toda a nossa vida gira em função do tempo - de um dia de 24 horas, de 12 meses distribuídos ao longo de um ano, de anos e anos que compõem a nossa vida.
Na profissão de um professor, o tempo assume uma importância ainda maior. O ano de um professor começa quase no final do ano de um cidadão comum. É tempo de planificar, prever o tempo que se demorará a falar deste ou daquele assunto, de quanto tempo se dedica à avaliação dos conhecimentos, do tempo em que perdemos a explicar uma e outra vez a alunos que parecem não estar presentes na sala (pelo menos em espírito).
O tempo vai passando e damos conta que estamos mais atrasados nesta turma ou mais adiantados naquela. E assim alteramos ou reformulamos a planificação. No fundo, estamos sempre a fazê-lo...
O tempo vai passando e são os testes que surgem para corrigir. E quando pensávamos que poderíamos descansar um pouco, logo chega a segunda ronda de fichas para elaborar e/ou corrigir.
Toda a nossa vida é guiada em função do tempo - tempo para dedicar à família, tempo para dedicar aos amigos, tempo para dedicar à profissão, tempo para dedicarmos a nós próprios. E às vezes, parece que o tempo não chega para tudo e no entanto temos a sensação de andar sempre a correr para conseguir fazer tudo o que estava previsto.
Dizem que o dia tem 24 horas. Às vezes duvido, acreditam? Ainda ontem era Sábado e já amanhã é Segunda-feira. Quase não tive tempo de desfazer o saco que transporta as minhas coisas nestas viagens de fim de semana, que mais parecem visitas relâmpago... Estamos a fazer algo e logo o nosso pensamento planifica a próxima actividade ou até mesmo as seguintes.
Talvez o tempo seja o factor que mais influencia o stress, esta corrida que caracteriza o ser humano e que não o deixa parar e apreciar as coisas boas da vida - a família, os amigos, a Natureza em geral. Talvez a culpa seja nossa que deixamos que o tempo tome conta de nós. Talvez, mas o que a mim me parece é que o tempo parece voar. Já repararam que estamos a um mês deste período terminar? E para o final do ano? Nem vale a pena pensar...


Talvez o melhor conselho seja mesmo aproveitar o nosso tempo, da melhor maneira possível, não esquecendo de dar valor às coisas realmente importantes da nossa vida.


A propósito destas reflexões sobre o tempo deixo-vos este link, que há pouco tempo recebi por mail. Divirtam-se...


7 comentários:

Marina disse...

Olho azul, ja tens musica!!!
Yupiiiiiiiiiii!

Eu as vezes costumo dizer que gostava que os meus dias tivessem 50 horas... Mas, se assim fosse, o tempo continuava a nao chegar para tudo o que eu queria!
Mais vale assim com 24h, pelo menos ja estamos habituados!

Beijitos e boa semana!

Patrícia disse...

É mesmo... O tempo passa a voar... Nem tempo temos para o saborear.. :)

Bjinhs

Stôra disse...

Gostei mto de ler o teu texto! As tuas reflexões reflectem as minhas! O tempo é como areia que se escapa por entre os dedos, qdo a tentamos agarrar.
*Beijinhos*

Cris disse...

Afinal, não é o sonho que comanda a vida! É o Tempo!! Bem verdadeiras as tuas palavras - que jeitinho dava se o tempo se encolhesse ou expandisse à medida das nossas necessidades!

Beijinhos :)
Boa Semana!

Márisa disse...

O tempo é algo precioso!

AnaCristina disse...

Tenho semanas que nem as vejo passar... como esta. Ontem era domingo e hoje já é sexta...

O nosso tempo divide-se em horas mas passa muito mais depressa.

Beijo

Professorinha disse...

Eu bem tento, mas o meu tempo não estica... E como acho que tenho que ter tempo para relaxar e vir visitar os blogs que gosto, acbo por naõ fazer todo o trabalho que me aguarda ali ao lado.

Mas não me arrependo das minhas escolhas. O tempo não manda em mim!!

Beijinhos