sexta-feira, 15 de junho de 2007

Em avaliação!

Estou em avaliação!
Bom, não sou eu, ainda não! Os concursos de titulares já se realizaram e não falta muito para o ser...

Também não é este blog, que ainda há pouco começou.

A avaliação diz respeito à escola, aos alunos, diz respeito ao final do ano lectivo que está mesmo à porta.

Esta última semana na escola não se prevê nada fácil - auto-avaliações; laboratório aberto à comunidade, actividades recreativo-culturais, reuniões de avaliação para preparar, em especial a minha!

Talvez tenha sido impressão minha, mas quer-me parecer que este período nem existiu. Foi um ar que se lhe deu e ups, já terminou.

Pode ter sido pequeno em tamanho, mas rico, para não dizer ríquissimo em actividades (ou melhor, dias sem aulas):

- visita de estudo do 8º ano;
- visita de estudo do 7º ano;
- 3 feriados;
- 2 dias de provas de aferição;
- 2 dias de exames nacionais;
- Dia Mundial da Criança;
- 4 dias de actividades recreativo-culturais.

Penso que não me esqueci de nada!

É certo que algumas das actividades listadas ainda se irão realizar, mas por isso mesmo são aulas a menos. O que para nós professores nos deixa aflitos no que respeita ao cumprimento de programas, mas que para os alunos é indiferente - de qualquer maneira já só pensam nas férias... (também eu!)

É ainda época de avaliações, dor de cabeça para os professores que se vêem perseguidos pelos alunos, chorando pela positiva, fazendo-nos crer que só nós os podemos salvar de uma retenção quase certa (e depois vai-se a ver e os dedos da mão não chegam para contar as negativas).

Há ainda aqueles alunos que pensam que pelo facto de conseguirem obter um nota positiva em todo o ano lhes garante a sua aprovação, o merecido 3! Ora, como diz a MJ " porque não realizam apenas esse teste durante o ano? Se ele vale pelos outros todos, basta realizar um!".

Do outro lado ficam os alunos que vêem o mundo desabar à sua frente apenas porque obtiveram uma negativa neste último teste.

Existe ainda um grupo de alunos que nos faz roer por dentro. Aqueles que no 3º período simplesmente tiram férias antecipadas. Literalmente é isso que acontece - faltam aos testes, não realizam nenhuma actividade das solicitadas pelo professor, perturbam a aula. Enfim, simplesmente desligam e nós, por mais que nos custe, somos obrigados a aceitar este comportamento e a avaliá-los de forma positiva, quando na realidade o que nos apetecia era castigá-los!

Ao contrário do que os nossos alunos pensam, as notas não são "dadas" de ânimo leve. Não são "dadas" em função de caras bonitas e engraxadelas. São devidamente ponderadas, tendo em consideração os critérios de avaliação definidos no início do ano e apresentados publicamente.

No caldeirão, qual bruxa da Branca de Neve, estão parâmetros cognitivos, afectivos e psicomotores, onde se inclui todo o trabalho desenvolvido durante as aulas, assiduidade, pontualidade, participação, cumprimento das tarefas, enfim...

O resultado será a nota merecida, não a nota desejada!

Este é o prémio dos alunos, o troféu entregue áqueles que durante o ano se esforçaram, lutaram por um bom trabalho, apesar das suas dificuldades. Porque este é o seu trabalho!

15 comentários:

Professorinha disse...

Eu sou da opinião que na pauta deveriam aparecer as notas do 1º, 2º e 3º períodos separadamente e depois fazer-se uma simples média. Isto porque há alunos que tendo 3 no 1º período e no 2º, merecem 1 no 3º. Ora 3+3+1=7, 7:3=2,3333... Portanto, nota final: 2.

Mas isso sou só eu que penso...

bell disse...

O problema é o verbo: dar. "Damos" as notas e os alunos entendem isso como uma oferta. O que me vai dar? Eles não entendem isso da avaliação contínua nem do peso dos diferentes parâmetros. Mas já percebem que com 3 no 1º, 3 no 2º, não lhes podemos dar 2 no 3º e, muitos, baldam-se completamente às aulas.
Estas avaliações do 3ºp são sempre uma dor de cabeça e têm de ser muito ponderadas. Damos-lhes (lá está a dádiva outra vez) o que eles merecem, mas, nem sempre, lhes podemos dar o 2 bem merecido por causa dos 2 terços de avaliação positiva.

Tozé Franco disse...

Estou farto destas pedagogias.
As nota deviam ser somadas como antigamente. Qunado era de 0 a 20 a soma tinha de ser 29. Agora é uma treta.
Haja paciência.

ap disse...

Esta é a pior altura para mim. Não gosto de "dar" notas. Adoro ensinar, trabalhar com os alunos, corrigir erros e destacar os sucessos: na flauta, nos instrumentos da sala de aula, nas canções, nos espectáculos que vamos fazendo ao longo do ano. Devia ser suficiente para avaliar cada aluno... Esta é a hora da angústia. Podem não acreditar, mas é isso mesmo que sinto. Sempre que penalizo um aluno pela sua falta de empenho e trabalho, pergunto-me se fiz o suficiente para o trazer "de volta à realidade". Entristece-me ver os seus olhos tristes...

Marina disse...

Ser justo é sempre dificil...
Mas avaliar faz parte.
Do resto, trata a nossa consciência!

Bom trabalho!

Beijitos e bom domingo

Carlos Ponte disse...

Então bom trabalho olho azul. Eu, por cá, debati-me com o mesmo problema - o tempo que voou - e, quando assim é, temos de fazer malabarismos. Não com as notas que isso não é matéria circense, mas com o tempo que se teve de inventar para preparar o melhor que se pode os exames nacionais da semana que vem.
Bom trabalho,
um beijo do vizinho.

Flôr disse...

Acho que avaliar alguém... quer seja aluno... ou numa outra situação qualquer... deve ser constrangedor para quem avalia!!...eu cá não gostava nada de estar nesse papel!! :))

Beijinho e uma semana, que vai começar.... cheia de sucessos profissionais, mas linda, sobretudo.. de conquistas pessoais... porque... apartir dai.. tudo o resto vem por acréscimoQ

Abraço fraterno e resto de um bom domingo, são os votos da Flor amiga

:))

asn disse...

Hoje tive que me levantar muito mais cedo do que é habitual. Há professores na família. Vários. Como trabalham em locais afastados das suas residências, nestas alturas, não fosse a ajuda dos pais (eu e a Zaida) nem sei como é que se conseguiam desenvencilhar. Com o stress em que andam, horários apertadíssimos para corresponderem às obrigações da profissão, os filhos a necessitarem de apoio, cá estamos nós, os pais e avós.
Apesar de ainda estarmos também em idade activa, com profissão e compromissos...
Enfim, cá vamos andando!...
Olhar azul, de esperança e confiança, é uma alternativa!
António

Stôra disse...

Quem lê o teu texto consegue perceber exactamente o que se passa! Todos os dias estão alunos à porta da sala de professores a "mendigar" uma nota que não merecem!
Deixa-me acrescentar que, depois de muita ponderação, tal como referiste, chegamos às reuniões de C.T. e os nossos queridos colegas, que, no meu ponto de vista, ficam a dever um pouco ao rigor e competência, votam as nossas notas para premiarem os alunos que não fizeram nada ao longo do ano! Dou o exemplo de um aluno do 9ºano que não tinha notas para ir a exame (estava chumbado). A colega de Matemática, achou que ele não devia ficar novamente na escola para o ano e deu-lhe 4 para garantir que, mesmo tirando 1, ele passe; e votaram a minha nota (25% de média final) para que ele ficasse apenas com duas negativas e, assim, transite!
Qualquer dia demito-me.
*Beijinhos*

Eduquês disse...

Estou de volta... e com novidades.

Cris disse...

Também estou em avaliações! E numa situação bastante delicada já que só me encontro nesta escola desde início de Maio. Algumas notas estão a dar-me algumas dores de cabeça pois fica nas minhas mãos a decisão de três períodos quando nem um leccionei! E, como referes, os alunos acham que por terem apenas uma positiva no ano, devem ter o três e mendigam, imploram como se fôssemos algum santinho que está aqui para fazer o milagre da positiva...

Bom trabalho!
Beijinhos :)

Paideia disse...

Olhar azul, venho fazer-te uma proposta:
Semana do dizer bem
Este foi mais um ano difícil para os professores. Não vale a pena sequer descrever toda a natureza das nossas frustrações, preocupações, desânimos, revoltas.
Contudo, muitos de nós, na blogosfera manifestam a resiliência, o optimismo, o bom humor essenciais a uma profissão que lida com a juventude.
Sem perdermos o nosso olhar crítico sobre o que se vai passando, e os primeiros exames aí estão para anunciar novos temas de debate, proponho a semana de
25 a 31 de Julho
para a semana do dizer bem: de um aluno, de um colega, de uma iniciativa...
Sempre há-de ter havido razões que nos fizeram sentir que, apesar de tudo, vale a pena.
Se concordares, passa a palavra.
Beijinhos.

Hindy disse...

Passei para deixar um beijinho hindyado!

Stôra disse...

Deixei-te um desafio no meu blogue :)
*Beijinhos*

Stôra disse...
Este comentário foi removido pelo autor.