sábado, 30 de junho de 2007

De volta, mas ainda não recuperada!

Quem é professor, quem os tem na família ou convive com eles de perto, percebe que as duas últimas semanas de um período, e em especial se esse é o último, são deveras complicadas. Como diz uma das minhas colegas da secção ao lado (um dia explico o que isto quer dizer) é uma questão de sobrevivência!

Os testes acumulam-se em cima da secretária, fazemos noitadas para os conseguirmos corrigir e entregar.
São as notas/avaliações para pensar, ponderar, reflectir, pesar, enfim, propor as classificações que em alguns casos irão decidir o futuro dos nossos alunos. É preciso apresentá-las com 48 horas de antecedência para serem lançadas.
São ainda os relatórios de Área de Projecto, Estudo Acompanhado, Formação Cívica e aulas de apoio em geral.

Do outro lado está ainda o trabalho do Director de Turma! É preciso verificar as notas, tentar "adivinhar" quem estará em situação de retenção, ou em situação de dupla retenção (ou tripla) para chamar o Encarregado de Educação para dar o seu parecer. Cartas, avisos de recepção, registos, tudo feito em triplicado a multiplicar por 10 alunos!

É preciso abrir os registos de avaliação do 3º período, para cada aluno. Contabilizar as aulas dadas pelos colegas que ainda por cima se enganam a numerar as lições (e que temos de corrigir), contabilizar as aulas assistidas de acordo com as faltas, aceitar justificações de faltas quando os extractos já estão imprimidos, registar tudo isto nos registos de avaliação, por aluno, atempadamente, para os podermos entregar aos colegas que leccionam as respectivas áreas curriculares, para estes poderem preencher as “cruzes” antes da reunião (o que nem sempre acontece).

É preciso registar nos registos biográficos as faltas dos alunos ao longo do ano, verificar os contactos estabelecidos com os Encarregados de Educação para ir preparando os relatórios de retenção que têm de ser apresentados em Conselho Pedagógico. É preciso fotocopiar todo esse material para ir elaborando o dito relatório.

O Director de Turma tenta adiantar o máximo de trabalho possível para a reunião não demorar demasiado. É um erro, pois o que se verifica é que a maior parte do Conselho de Turma não está atento e lá temos de nos impor, fazer cara de mau, acabar com as conversas paralelas, dar um murro na mesa!
São propostas aquilo que ali apresentamos. É certo que cada um de nós pensou seriamente no trabalho desenvolvido pelo aluno e não acredito que a nota que cada professor apresentou seja proposta de ânimo leve. Eu acredito que é devidamente ponderada, mas isso não lhes dá o direito de se desligarem das suas obrigações. Os colegas disseram-me que a reunião correu bem (apesar de a minha direcção de turma ter sido a minha primeira reunião da semana)– cumpri o horário, as propostas de retenção/progressão foram bem justificadas, a ordem de trabalhos foi devidamente cumprida mas no fim senti uma agonia. Não me perguntem porquê, mas fiquei triste, desiludida, comigo, com os outros, com a falta de respeito…

O que ainda me revolta mais é a informação que vai saindo a conta-gotas – “neste Conselho de Turma preencheu-se este documento”; “no outro não se fez nada disso” – confusão, total confusão! Uns pedem umas coisas, outros dizem que não é necessário, uns fazem de um modo, outros de outro.
E eu? Que faz uma Directora de Turma que o é pela primeira vez? Ouve daqui e dali, tenta ver o que realmente é importante, confronta legislação, sente-se perdida, desorientada, mergulhada num mar de burocracia, pergunta a um colega, confronta outro – socorro! Onde está a uniformização de critérios? Porque partir do princípio que toda a gente sabe de tudo, sabe dos usos e costumes da escola? Bolas, eu sou nova por aqui! Além disso, mesmo quem está numa escola há muito tempo, acaba por se esquecer de certos detalhes de um ano para o outro.

No dia seguinte lá compareceram os pais. Uns concordaram, outros não, um não apareceu. Tudo foi anexado ao relatório – as avaliações, o parecer, o relatório analítico do Conselho de Turma, os planos de que o aluno foi alvo. A fase seguinte é com o Conselho Pedagógico. Depois logo se verá. Na 3ª feira são as matrículas…

A terminar a semana, a notícia de que o trabalho não fica por aqui. A DREN quer uma base de dados sobre os planos de recuperação, acompanhamento e desenvolvimento. Novamente é o Director de Turma que tem a tarefa de a preencher – por aluno, por disciplina, por competência a ser desenvolvida. Adivinha-se uma semana de luta renhida por um lugar no computador!

Quem me vê de volta ao ninho pergunta – “Já de férias?”. Quem dera! Não estão longe é certo, mas ainda falta muito a fazer: concluir o ano, preparar o próximo.

Não pensem por isso que os professores são aquela classe priveligiada que já está de férias. Quem passar pela frente de uma escola, durante o próximo mês não se admire de ver o parque de estacionamento completo. Afinal, ser professor não é só dar aulas!

10 comentários:

Paideia disse...

Como sempre o fazes, registaste com precisão e minúcia o trabalho que envolve a avaliação do final do ano. Muita gente desconhece o envolvimento burocrático,relacional, emocional que este trabalho envolve.
Cumprimento-te por isso e desejo-te um bom fim-de-smana.
***
Idalina

Professorinha disse...

Ai rapariga, andamos as duas na mesma... E a nem referiste o maravilhoso PCT!!!! E essa da base de dados para a DREN ainda me vai dar muito trabalho bolas... Só inventam coisas para dificultar e complicar o trabalho, olha que para facilitar não fazem nada!!!!


Beijos

olho_azul disse...

Tens razão Professorinha.
Ainda falta concluir o PCT e já agora elaborar o Relatório de Direcção de Turma!
Férias - uma luz ao fundo do túnel...

IC disse...

Vim agradecer a visita ao meu cantinho. Deparo-me com a descrição da reunião final de avaliação e com as palavras "Os colegas disseram-me que a reunião correu bem (...) mas no fim senti uma agonia" e entendo-as bem! E dessa da base de dados ainda não tinha conhecimento (estou aposentada)- será que não param com exigências de mais e mais trabalho burocrático?!
Mas, enfim... é melhor ficar-me por desejar bom fim de semana ;)
Um beijinho.

Tozé Franco disse...

Ainda gostava de saber o que é que fazem na Dren a todos esses dados.
A pedagogia do papel a ocupar o papel da pedagogia.
Vamos de mala pior. Com os papéis pode ser que ainda sobre tempo para dar aulas.
Um abraço.

Marina disse...

Mas olha que a musiquinha nova ja cheira a ferias! ;-)
Boa escolha!

Continuaçao de bom trabalho e resto de um bom fim de semana!

Flôr disse...

Passo para te deixar uma flor e o meu beijinho florido....

A minha ausência tem sido por um motivo delicioso... estou de férias... mas quando voltar, irei colocar em dia todas as minhas visitas...

Beijinhos e que essa azáfama passe depressinha :)

Inté
Flor

ap disse...

Já fui directora de turma diversas vezes ao longo da minha carreira, mas nunca me senti tão angustiada como este ano. Afinal são tantos documentos a preencher que fico com uma sensação de não me conseguir organizar. Talvez seja o cansaço, mas eu, que até gostava desta função, estou prestes a ter uma "indigestão". Na minha escola, para além de tudo o resto, como não funciona na sede do agrupamento, os directores de turma têm que se deslocar à sede e lá repetir a introdução das notas e das faltas para enviar para o ministério. Isto é, fazer a mesma tarefa 2 vezes(esta situação já havia ocorrido no 1º e no 2º períodos). Anedótico, não acham?

bell disse...

Escreves muitas vezes posts que eu poderia ter escrito, porque as nossas vidas são mesmo assim e tu traças um retrato fiel dos nossos dias. Mas essa da base de dados da Dren, é novidade para mim. Na minha escola, preenchemos um impresso, uma espécie de estatística do nº de planos aplicados, quantos tiveram sucesso, quantos reprovaram... Serão os Dts a passar isso tudo para o computador?! Ou trata-se de outra coisa diferente?! Espero que não.

olho_azul disse...

Esclarecimento sobre a base de dados:
O que se pretende é que cada DT registe por aluno, o tipo de plano aplicado e em que disciplinas; por disciplina deverá indicar-se a aprendizagem a desenvolver e para cada uma delas a modalidade de apoio, recursos humanos e organizacionais, data de início e fim do plano. No final indica-se a avaliação final do plano e de fim de ano. Como podem imaginar é muito trabalho para o DT (no meu caso tenho 11 planos, outras turmas têm mais) e que poderia ser facilitado se o Conselho de Turma colaborasse.