domingo, 20 de janeiro de 2008

Onde está a autoridade de um professor?

Anda por aí nas bocas do mundo a proposta do novo estatuto do aluno. Aquela mesma que prevê que um aluno possa passar de ano, sem nunca ter visto a cara do seu professor....

Com esta mesma proposta prevê-se umas mudanças ao nível da autoridade dos professores. Com tantas mundanças que têm acontecido ultimamente, nem sequer me pronuncio sobre estas.
Pelo contrário, chamo a atenção para situações que estão a acontecer actualmente e que acabam por pôr a nossa autoridade (mesmo que esta seja pequena) em risco.

Onde está a autoridade de um professor que, depois de tentar todas as medidas (possíveis e imagináveis), acaba por colocar um aluno fora da sala de aula, redigindo a respectiva participação disciplinar e o aluno continua a apresentar o mesmo comportamento, aula após aula?

Onde está a autoridade de um professor perante um aluno que se vangloria de ter tido 11, 12 ou mais participações disciplinares no ano lectivo anterior e nada lhe aconteceu - nem repreensão, nem castigo, nem suspensão. NADA! E por isso, no presente ano lectivo, venham as que vierem NADA lhe acontecerá.

Onde está a autoridade de um professor quando é informado, enquanto Director de Turma, que um seu aluno foi agredido por um grupo de alunos mais velhos e que tudo será resolvido pelo Director de Turma desse grupo, em diálogo...

Onde está a autoridade de um professor quando recebe um recado deste género, por parte de um encarregado de educação?


Recebido por mail

Qualquer dia, no início de cada ano lectivo, teremos de ter uma folha de autorização do encarregado de educação, que nos permita elevar o tom de voz, chamar a atenção ou até mesmo repreender o seu educando. Não vá o moço ficar traumatizado, e o professor com avaliação negativa...

8 comentários:

Celina disse...

Não deve ser nada fácil ser professor! Tenho dois filhos na escola e nunca ousei tratar um professor por tu!
Depois dizem que as crianças são mal educadas mas elas são apenas o reflexo dos pais que têm!
Que Deus lhe dê paciência...
Um abraço, Celina

bell disse...

Está cada vez mais complicado. Numa escola como a minha onde há muitos problemas de comportamento, as mudanças vão agudizar o problema. Mas quer-me parecer que vai piorar um pouco por todo o lado.

Mr X disse...

Só venho aqui dizer que "pedi emprestada" a foto dos balões do Sobe, Sobe, Balão Sobe.

Um obrigado

Mo disse...

Também pus esse "recado" no meu blog.

Às vezes pergunto-me se escolhi a profissão certa, ou para que é que luto e rezo todos os dias para um dia mais tarde apanhar uma "besta" (não tem outro nome...) destas pela frente.

E depois, às vezes, ainda me parece que os professores em vez de se unirem ainda se desunem mais...

Beijos

Professorinha disse...

Parece que andamos todos um bocado desiludidos com tudo isto...

Força nisso!

Beijos

A Flôr disse...

Olá linda! :)

Pelo que vejo, a vida de professora continua na mesma, não é!? ih ih ihihih

Espero que estejas bem, tirando os contratempos de prof!

Infelizmente não consigo perceber muito bem o recado... será que poderias escrevê-lo e postá-lo?
Fiquei curiosa!...

Isto caminha para o descalabro!!!

Fofinha, fica bem, fica com Deus. :D

Beijinhos com sabor a algodão doce te deixo :D

Flor

Andreia disse...

Enfim... desanimada... olhar em frente?!! Acho que ainda fico pior...

beijo

olho_azul disse...

Flôr, este é o recado:
"Venho por este meio informar a Professora de que quando o telemóvel da aluna tornar a tocar na aula que nunca mais voltes a dizer à aluna que fica sem o telemóvel quando tocar é o pai ou a mãe, portatno que seja a última vez que falas assim com a aluna se quiseres tirar-lhe o telemóvel tiras à minha frente. O Pai"