sábado, 20 de janeiro de 2007

No fim do arco-íris...

Às vezes penso que esta profissão é muito ingrata. Damos o que temos e o que não temos e nada recebemos em troca. Não estou a falar de aumento do ordenado, nem de uma colocação melhor, mas às vezes uma palavra de apoio ou o recebimento de uma manifestação de apreço por aquilo que fazemos. Na verdade estamos a formar os homens e mulheres de amanhã e não há ninguém que o reconheça!


Este post é resultado de uma reflexão pessoal sobre os posts que a Professorinha (colega bloguista) tem publicado no seu cantinho. A desilusão é notória a quem por lá passe, mas não é única (infelizmente) porque no fundo todos acabamos por a sentir. Esforçamo-nos por desenvolver aulas motivadoras para o estudo, por utilizar as últimas "novidades" do campo da pedagogia, associadas às últimas tecnologias. Tentamos tornar as nossas aulas modernas e na prática os nossos alunos não ligam a mínima para esse esforço.


No início de carreira, lembro-me de ouvir dizer que aquelas ideias todas e a vontade de trabalhar iam desaparecendo com o tempo, que no fundo, isso era fruto da idade, e da novidade de ter acabado o curso. Na altura pensava que não, que essas atitudes estavam com a pessoa e que dependia dela não as perder. Hoje sei bem que não é assim. Eu ainda tenho essas atitudes, essa vontade de inovar, e trabalho com colegas que também as têm, mas de facto os nossos alunos não se interessam por uma aula diferente, por uma metodologia de trabalho que fuja da rotina. Hoje os nossos alunos não querem trabalhar, não querem fazer o mínimo esforço e é natural que fiquemos desanimados, desiludidos.


No outro dia, em conversa na escola, falava-se da utilização de projectores na sala de aula e aulas em power point, tecnologia que parece estar em franco desenvolvimento, havendo algumas escolas que já estão a apostar neste campo. Alguns colegas confessavam que não viam interesse nisso, não por eles não se interessarem, mas pelo facto dos alunos não o apreciarem. E infelizmente é verdade. Devido ao carácter prático da minha disciplina, tento fazer várias actividades experimentais, que tentam, ou motivar para o estudo, ou comprovar a teoria. Mas de ano para ano noto que nem isso os motiva. Fazem a actividade mas não sabem concretamente o que estão a fazer (apesar de eu ler com eles o protocolo e explicar-lhes ao pormenor em que consiste). Simplesmente a escola não lhes diz nada. A juntar a isto tudo está a má educação que parece ser crescente nos nossos alunos, a resposta sempre pronta na ponta da língua, a falta de respeito pelo trabalho desnvolvido. Enfim... Parece que em vez de melhorar, está a piorar.

Ainda não perdi a esperança, e apesar de por vezes me sentir desanimada no fim de uma aula, ainda mantenho a esperança que com a próxima turma seja diferente. Ou então, no próximo ano... Ser positiva acima de tudo (mas até quando?).


A lenda conta que no fim do arco-íris encontramos um pote de moedas de ouro. Não, não é isso que eu procuro. O que eu desejo mesmo é encontrar uma escola onde um professor seja valorizado pelo seu trabalho, onde os alunos se interessem por aprender e até mesmo por ensinar, onde haja respeito por todos. Dizem que é difícil encontrar o fim do arco-íris, quem sabe não tenho sorte?! Alguém me quer acompanhar?


________________________________



Finalmente foi publicado e parece que entra hoje em vigor!


Lutamos, gritamos, manifestamos, mas parece que ninguém nos ouviu. O ensino não anda bem em Portugal, e a culpa pelos vistos é dos professores. Até pode ser, porque na vida há sempre um justo que paga pelo pecador ( e bem sabemos que existem colegas menos correctos). Mas antes de nos levantarem o dedo e nos acusarem, ponham-se na nossa pele, visitem as nossas escolas e passem um dia ao nosso lado, com as turmas com que diariamente temos de lidar. E depois sim, depois acusem-nos de sermos malandros, de não termos competência para ensinar. Mas não nos acusem sem saberem o que é estar diante de 30 garotos que a única coisa em que pensam é divertir-se, falar ao telemóvel, brincar com os colegas e que nos dizem que não estão para nos aturar, porque aquilo que temos para lhes dizer não lhes interessa nada. Sabem uma coisa, cada vez é mais difícil ser Professor neste país...

13 comentários:

Professorinha disse...

Olá :)

Pois é colega, andamos todas em baixo. Os alunos não querem saber, querem é brincadeira e gozar com os professores. Não entendo bem a atitude deles, qual o objectivo, por que razão escolhem ser assim, se isso lhes dá alguma coisa para o futuro. A mim só me apetece sair da sala e eles que se amanhem para aprender. O pior de tudo é que continuo a ver os colegas mais velhos sem admitirem que com eles os alunos também se portam mal. E ainda pior é eu sentir que apesar de decisões tomadas em conselho de turma, os meus colegas estão a proteger os alunos com peninha deles.

Eles não têm nenhuma pena de nós, não querem saber e muito menos pensam que aquilo que fazemos ali é o nosso trabalho, preparamo-nos para lhes passar informação e eles simplesmente desprezam-na...

Foi mais um desabafo...

Beijinhos e força!! Bem precisamos :)

anokas disse...

bem... venho eu do blog da professorinha toda triste com os alunos... chego aqui... isto ainda está pior :)
ânimo colegas!!! vem aí o novo estatuto eheheheheh
tudo há-de ser melhor!!!
olha nem sei q te diga...se 1º me apeteceu chorar com o teu post agora só me está a dar vontade de rir :D
devo estar a ficar tolinha eh eh
fica bem
bjokas da anokas ;)

AnaCristina disse...

Acredito no pote, ele existe mas vai sendo cada vez menos apelativo e mais raro....

Bom fim de semansa

elsa nyny disse...

Olá!!

Passei por cá!!!
Gostei da reflexão!!
Muita força para ti!!

:))

Márisa disse...

Pois é!
Compreendo perfeitamente!
Não há mesmo palavras para mostrar a realidade deste país! Enfim...
Beijocas e bom fim de semana

Marina disse...

Isto nao esta mesmo nada facil...
Eu acho que o pote está lá, mas a falta de sol que anda pelo ensino não tem deixado ver o arco-íris...

Eu so queria uma escola ainda este ano!Sera que e pedir muito???

Beijitos e bom fim de semana

Patrícia disse...

Sei que é estranho estar a comentar, porque sou aluna... Mas tenho que concordar consigo. Reconheço que os professores não são reconhecidos pela sociedade. É triste, eu sei... Mas que posso eu fazer? Eu valorizo muito os meus... :)
Espero que a simples ideia de que há alguém no mundo que vos valoriza, como eu, lhe sirva um bocadinho de conforto...
Toda a gente sabe, que há professores e professores... Mas há sempre alguma coisa que nos fica de cada um, por muito pequenina que seja... Aliás eu acho que em geral, até tenho tido sorte... Às vezes sorte a mais com algumas alminhas, que até se torna difícil no fim do ano ter que "os deixar"... :( Há sempre aquele professor que nos marca para sempre...

Bjinhos grandes cheios de força...

stôra disse...

Eu acompanho-te! Eu quero encontrar o fim do arco-íris mas sinto que, a cada passo que dou, ele está cada vez mais longe!
Deste uma bela sugestão: desafiar "os manda-chuvas" a acompanharem-nos um dia inteiro nesta aventura que é dar aulas no nosso país!
Falam, falam, mas eu queria vê-los no terreno, a falarem com conhecimento de causa!
*Beijinhos*

Cris disse...

Partilho e compreendo tão bem o teu desabafo! Infelizmente a situação só tende a piorar e poucos são os motivos para seguirmos em frente. Sinceramente já me senti muito mais vocacionada para esta profissão do que agora...

Um beijinho :)
Boa semana!

Carlos Ponte disse...

Olá vizinha!
Concordo inteiramente com tudo o que diz, mas por favor, não desanime.
Um abraço,
Carlos Ponte

asn disse...

Querida amiga, desculpe a familiaridade
Estou mesmo na ponta final de 59 movimentos de translação da Terra em volta do Sol.
Tenho alguma experiência/da antiga do ensino secundário. Tenho professores no meu meio familiar mais chegado - filhos e irmãos. Daí eu contar nos meus links de consulta e participação alguns blogues de professores com os quais me vou afeiçoando.
Por necessidades profissionais e de interesse geral, acompanho diariamente o que vai sendo publicado em Diáriop da República. Já li o tal dito Estatuto ...
O problema que está a levantar relativamente à falta de motivação dos alunos, na minha opinião, tem muito a ver com a falta de cooperação dos pais. Eu diria que, a partir do momento em que os pais não conseguem arranjar tempo para se inteirarem da situação escolar dos seus filhos, não os acompanham, não os apoiam nos estudos, não assumem o seu papel fundamental na educação e disciplina dos seus filhos, a Escola passa a não ter qualquer possibilidade de os substituir.
A situação é demasiado complexa e requer modificações estruturais da própria vida do Homem.
Como resolver o problema? Não podemos é partir para esta luta derrotados!...
Infelizmente estes momentos de desalento estão a afectar todos os sectores da sociedade!...
De qualquer modo, queremos, nós os que ainda acreditam no Futuro, ver esse brilho azul dos seus olhos, cada vez mais intenso...
Bj
António

Sizandro disse...

Não vale a pena irmos todos apanhar uma "piéla" por causa disso.
A escola é o reflexo da sociedade onde se insere.
Os alunos são fruto da educação que têm.
A escola serve para ensinar.
Ser professor é uma profissão.
Se estas três ideias simples e pudessem ser partilhadas de forma desapaixonada por todo o sistema e trabalhássemos com base nestes pressupostos, a educação em Portugal seria muito melhor.

olho_azul disse...

Obrigada a todos pelos comentários que ao longo da semana foram deixando.
Não, não vale a pena desanimar. A minha maneira de ser é positiva, por natureza e por isso acredito que dias melhores virão.
Nas nossas turmas há sempre alunos por quem vale a pena inovar, desenvolver novas metodologias, fazer uma aula diferente. É nesses que devemos pensar e não naqueles que nos fazem cair no desânimo. Afinal, é por causa desses alunos que vale a pena ser professor.