sábado, 27 de janeiro de 2007

Pensamento da Semana

Às vezes andamos mais desanimados, mais tristes, mais cansados. Mas acabamos por desabafar e então parece que ficamos mais leves.

A vida de professor em Portugal não está fácil, eu sei, vocês sabem. Mas a verdade é que não adianta desanimar. Nessas alturas pensemos numa coisa: O que nos move? Por que razão somos professores?

A resposta a estas (e outras perguntas) de certeza que nos ajudam a encarar o dia de outra forma, com um outro olhar... E sabem, no fundo (mas muito lá no fundo) em cada dia conseguimos encontrar uma criança, um aluno, que nos ajuda a perceber estas razões e que justifica a nossa profissão - através de um olhar, de um comentário, de uma aprendizagem que foi conseguida, através do nosso trabalho. E na certa este motivo chega para não desanimar e para acreditar que o outro dia será diferente. Sabem sou professora e a verdade é que não sei ser outra coisa (e no fundo também não sei se quero ser outra coisa).



Transmite entusiasmo aos teus alunos,
motivando-os para aprender,
para viver - levando-os a empenhar-se
no estudo e na vida.
Os teus alunos - e tu - ficarão muito mais ricos.
in A Arte de Ensinar

11 comentários:

Márisa disse...

Concordo contigo.
Ser professora é muito dificil e por vezes bastante desanimador. Mas a verdade é que também há momentos inesquecíveis, pois quando os alunos querem conseguem ser a coisa mais fofa e mais simpática. E é um sentimento de satisfação, de realização, de alegria incrível. :-)

Anónimo disse...

Parabéns pelo incentivo!

Patrícia disse...

Concordo plenamente... Há sempre coisas boas que ficam gravadas na nossa memória para sempre...

A cumplicidade entre alunos/professor é a fronteira mágica que nos une, um lugar infinito de silêncio, palavras, gestos, onde por vezes nos rimos, outras choramos... é como tudo... Mas o importante é que não é assim tão mau!
Cada vez mais, é preciso valorizar o bom da vida, não só "ver" o lado mau das coisas...

Parabéns pelo incentivo...

Beijocas***

Professorinha disse...

Há sempre um aluno que nos motiva... é pena é serem poucos :)

Beijos

bell disse...

Às vezes um olhar, uma palavra, um sorriso deles é o suficente para ganharmos forças. É pena é serem poucos, como disse a Professorinha.

Tozé Franco disse...

EMbor ame farte de protestar, verdade é que, quando olho para trás, apenas mem lembro dos alunos que me marcaram positivamente, e foram muitos.
São esses que nos fazem continuar a sonhar..

Stôra disse...

É verdade, por vezes desanimamos bastante, o que nos vale são aqueles alunos que, sem querer, nos dão força. Eu tenho um aluno surdo e autista que é uma delícia, abraça os professores, dá beijinhos; para nós, é muito mais do que um aluno, ele precisa de uma atenção especial. É muito mimado mas também muito aplicado, à sua maneira :)
Somos professores porque gostamos do que fazemos e porque ainda há alguns alunos que merecem o nosso esforço!
*Beijinhos*

Marina disse...

Olho Azul, obrigada por lembrares aqui as coisas boas! Que das mas, ja estamos nós fartos de falar, n é?

Beijitos

anokas disse...

ohh querida não vale a pena desanimar!!!
sabes mesmo com estas tretas todas do novo ECD eu ando feliz
não vale a pena sofrer por antecipação
o que virá virá e logo se verá eheheheh
este ano estou feliz :)
espero q fiques tb!!!
bjokas da anokas ;)

marc disse...

Olá

Eu estava a passear pela internet, à procura de conteúdos para trabalhar com meus alunos, quando me deparei com teu blog.

Chamaram-me à atenção a qualidade com que escreves e o teu ponto de vista. Lamento compartilhar um pouco desse teu desânimo.

Infelizmente, não se nos desenha um horizonte melhor, ao menos a curto prazo, mas... c'est la vie.

Um abraço

Marchiori Quevedo

marc disse...

Olá

Eu estava a passear pela internet, à procura de conteúdos para trabalhar com meus alunos, quando me deparei com teu blog.

Chamaram-me à atenção a qualidade com que escreves e o teu ponto de vista. Lamento compartilhar um pouco desse teu desânimo.

Infelizmente, não se nos desenha um horizonte melhor, ao menos a curto prazo, mas... c'est la vie.

Um abraço

Marchiori Quevedo